segunda-feira, maio 16, 2005

Património de Maio - Capela de S.Pedro de Verona

Capela em ruínas esconde frescos

Capela de São Pedro de Verona, situada na aldeia de Vila Soeiro, Guarda, onde há quatro anos foram descobertos frescos inéditos do século XVI, está em adiantado estado de degradação e a necessitar de obras urgentes, que só não avançam porque está em curso o seu processo de classificação de Imóvel de Interesse Público.

Os habitantes da aldeia estão revoltados com a situação e temem que nunca mais saia a autorização para a recuperação da capela. "Fico contente com a classificação mas gostava mais que a capela fosse rapidamente recuperada antes que se estrague mais. Hoje só serve de ninho para pássaros", confessou ao CM Maria do Rosário, de 67 anos.

A presidente da Junta de Freguesia de Vila Soeiro, Madalena Costa, recorda que os frescos foram descobertos em 2001 quando contratou técnicos para retirarem o retábulo a fim de ser recuperado. "Nessa altura, houve obras na capela, mas, em consequência dos achados, os trabalhos pararam", explicou a autarca, salientando que o futuro da capela está agora pendente da conclusão do processo que o vai considerar Imóvel de Interesse Público.

Actualmente, as frestas na parede são muitas, temendo a população que quando a obra avançar a degradação já tenha causado prejuízos elevados e irrecuperáveis, ainda mais quando há a possibilidade de haver mais frescos ocultos.

"É quase certo que na altura em que foi colocado o retábulo na parede central as laterais tenham sido pintadas, ocultando mais frescos. Os peritos dizem que poderá haver mais sete camadas de tinta que terão de ser cuidadosamente removidas afim de se visualizar a última camada, a dos frescos", diz Madalena Costa.Os frescos encontrados são alusivos a passagens da vida de Jesus Cristo, entre as quais a fuga para o Egipto, o Calvário e imagens de S. Francisco a receber os estigmas.

in correio da manhã Noticia S. Pedro de Verona


No site da DGEMN, encontrei a referida ficha de classificação, que pode ser visualizada aqui

Esta noticia foi uma participação de Arkeotuga

5 comentários:

  1. Só falta esclarecer que este património pertence a um particular e foi roubado pela presidente invejosa da junta.

    ResponderEliminar
  2. Caro João Pinto,

    Para realmente esclarecer, seria necessário saber mais alguns detalhes, caso queria partilhar com a comunidade.

    ResponderEliminar
  3. Cara Mónica,
    Passo a esclarecer, a capela pertence a uma propriedade privada em que o dono teria que dar autorização para uso e acesso a esta, sem restricções, à população. Toda a população sabia disto, mas nos tribunais, com a mentira a presidente da junta consegui ROUBAR, um património de uma pessoa que pagou por ele,com a ajuda do COBARDE do padre da paróquia e do irmão PISTOLEIRO da presidente da junta.
    Mas por cúmulo está cada está mais degradada. PARA QUÊ ESTA ACÇÃO DA PRESIDENTA.INVEJA...

    ResponderEliminar